Crítica de cinema.

Diálogo entre pai e mãe, logo após o parto. Ao saber do sexo do filho, a mãe indaga o pai.

– Qual o nome daremos à ele?

– Que tal, Will Smith Silva Ferreira?

– Mas Will? Irão chamá-lo de Willzinho?

– Era o nome do meu vô.

– Não seu avô chamava-se Francisco Will. E desculpe meu bem, mas não combinava.

– Ok. E que tal, Johnny Depp Silva? Fica legal. O que acha?

– Clarooo! Pro amigos brigarem com ele dizendo: “Meu nome não é Jonny?” Outro!!!

– Humm… deixe-me pensar. Que tal, Tom Hanks da Silva.

– Nossa que criativo meu bem. Será que não tem nenhum sugestão que não seja ator?

– Ahhh claro. Que tal Steven Spielberg Ferreira e Silva.

– Amorzinho, coisa fofa do meu coração! ESQUECE DE CINEMA, seu filho não é astro de Hollywood. Dê um nome normal para ele.

– Calma, não precisa ficar nervosa!! Humm, nome normal??? Que tal Rodrigo???

– Gosteeei… Rodrigo é um nome bonito. Rodrigo Ferreira da Silva.

– Posso ir registrá-lo, então?

– Sim, vai sim meu amor. Adorei esse nome. Rodrigo!!!

Horas depois, de posse da certidão de nascimento do garoto, o pai volta com um sorriso no rosto.

– Amor, está ai. Rodrigo Ferreira da Silva.

Ela olha a certidão atônita:

-Você é ridículo!!!

– O que foi meu benzinho? Você mesmo disse que tava ótimo.

– Claro, ficou hiper original: “Rodrigo Ferreira da Silva Santoro.”

Anúncios

A vida e a poesia.

Por quê?

O que quer esse ser?

Perguntas perdidas no vazio.

Tão vazio quanto um quê

Então me diga, leitor, por quê?

 

Sem significado, vida vazia

sem significância essa poesia

Só dá sentido a denotação

quando torna-se conotação

 

Então vai leitor,

carregue-se de poesia

Engula goles de vida,

sirva-se do que há de melhor

amor, paixão, viver, prazer.

 

Não deixe aconselhar-te o José

Se nem mesmo ele sabe o que quer

A desilusão venceu a paixão

Entretanto, vencerá a maldade

aquelas estrofes cheias de vontade

E agora José?

 

Não deixe que pessoas vazias

sequem tua poesia,

não deixe a conotação vencer

a denotação.

E agora José?

 

Agora deixe o vazio no vácuo.

Preencha a vida de poesia

Só ela é capaz de transformar

uma transa em amar

Só ela é capaz de transformar

problemas em desafios

 

E agora José, você sabia?

Sim! Viva sua Poesia.

Momento Relativo

“Contemplamos as estrelas porque somos humanos, ou somos humanos porque contemplamos as estrelas?”

Stardust

O ato de contemplar é algo inerente ao ser humano? Quer dizer que naturalmente nos interessamos pelas coisas, queremos saber mais a respeito, somos curiosos. É isso?

Ou o fato de contemplarmos, especialmente as estrelas, é que nos deixa mais humanos? Contemplar o belo, que ao mesmo tempo é misterioso, indagar e fazer suposições do tipo “e se?”, mesmo sabendo que dificilmente chegará a uma resposta – se é que haveria alguma.

O céu estrelado é uma verdadeira obra de arte que facilmente encanta e fascina qualquer pessoa. Porém, ao chegar perto de uma estrela de verdade, ela não passa de uma…pedra; uma pedra iluminada.

O luar é outro elemento fascinador, um verdadeiro encantador – principalmente de casais. Porém, se você está na lua, o elemento fascinador passa a ser uma bola azul, conhecida como Terra.

Quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha? É impossível ter sido  a galinha, pois ela veio de um ovo. Também não poderia ter sido o ovo, afinal seria necessário uma galinha para botá-lo.

Hmm, relativo.

Acredito que tio Einstein não foi o primeiro a reparar nessa relação. Afinal de contas, muitos antes dele já haviam percebido que sempre haverá mais de um ponto de vista para a mesma coisa. Ele só foi genial o suficiente para transformar isso em fórmula matemática.

Nunca imaginei que a física pudesse ser tão humana. Gostei! 🙂 Continuar lendo

O tempo relativo

 

 

Hoje eu nasci denovo.

Não sei o que aconteceu, mas acordei um tanto estranho. Sonhei com meus tempos de faculdade e lembrei-me do tempo que estudava física. Olhei para o lado e lembrei da seguinte lei:

 

O espaço é relativo, a velocidade é relativa, até o tempo é relativo. Uma pessoa viajando pelo espaço na velocidade da luz, sentirá o tempo passar de uma forma diferente de outra aqui na terra.

Sinceramente, não me lembro tão bem hoje dessa teoria, mas era algo relacionado a relatividade de Einstein. E difícil não ver tal lei e se perguntar: “O que isso vai fazer diferença na minha vida?”

Como já disse, acordei meio estranho. Olhei para o lado da cama e … Primeiro, contar-lhes-ei a minha história. Fiz faculdade de engenharia na USP, não pretendo usar de falsa modéstia, mas sempre destaquei-me. Ao sair dali, abri meu próprio negócio, uma empresa de importação e exportação de produtos de engenharia. Assim como na faculdade, destaquei-me ao dirigi-la..

Com apenas três anos no mercado, já estava entre os cem maiores faturamentos do Brasil. Não tem como deixar de se entusiasmar com tamanho sucesso, ainda mais com apenas 26 anos. Dessa forma, passei a me dedicar exclusivamente ao trabalho. Quatro anos depois, a empresa já era a líder de mercado. Minha carreira profissional deslanchava, já a parte pessoal estava fraca, muitas pessoas me perguntavam sobre família e esposa. Sinceramente, essa não era minha meta, nem minha preocupação. Além disso, me faltava tempo.

Na verdade, a vida era um turbilhão de acontecimentos. A velocidade com que as coisas aconteciam às vezes me assustava. Certa vez, me senti Júlio Verne, entretanto dei a volta ao mundo em apenas oito dias. Impossível aproveitar alguma coisa, viajar sob estas condições é pior que navegar no google Earth (a caverna de Platão do século XXI). Por isso, tenho a opinião que ser dono de uma empresa pequena é fácil, difícil é ser dono de uma grande empresa,  pois quando ela cresce, os papéis se invertem; a sensação é que o dono passa a pertencer a ela.

Com tanta coisa na vida, sobrava muito pouco tempo para mim. Apenas pensava no sucesso, no poder, no dinheiro. Posso lhes dizer que o resto era consequência. Nunca me faltou muitas mulheres, favores políticos, convites. Entretanto, me faltava tempo.

Hoje acordei e pensei nessa aula de física. Como o tempo pode ser relativo? Não entrei na espaçonave de Einsten, entrei na espaçonave da minha vida, onde as coisa aconteciam na velocidade da luz, e o tempo passou diferente pra mim. Hoje tenho 60 anos, não tenho filhos, não tive esposa. Quando abri os olhos e olhei para o lado, vi minha mais nova namorada, de apenas 20 anos de idade e pensei: “Será que a diferença de idade é tão grande?” Cheguei a conclusão que não. Sei que ela está comigo devido a minha condição financeira. Se sou rico hoje é porque vendi minha juventude. Meu dinheiro representa tudo aquilo que não aproveitei quando jovem. Sendo assim, eu e minha namorada temos quase a mesma idade.

Realmente, o tempo é relativo.

Quando 2 = 1?

Matemática é uma ciência exata, já amar é uma ciência nada exata. O que me intriga é tentar usar relações matemáticas para o amor. Além de ser brega, geralmente não tem lógica nenhuma. Isso desde um simples “eu te amo elevado ao infinito” desde “eu e você somos uma só alma!”

Qual a lógica de dizer para outra pessoa que a ama elevado ao infinito?? Primeiro, amar não é número, segundo infinito também não é número! Faz todo sentido dizer que um número é elevado a outro. E o que seria uma coisa elevada a outra? Talvez a Punk, a elevada da Breca?

Dizer que o seu amor é o maior do mundo é dizer que sua mulher te ama menos do que você a ama. Pense bem, matemática é razão. Se declarar não é o melhor momento para usá-la.

Mas pra mim algo que faz menos sentido ainda é esse negócio de alma gêmea. Dizer que 2 = 1 é como dizer que 2 + 2 = 2 (WFT)?!? Dizer que você + outra pessoa é igual a uma é o mesmo que dizer: “valho menos que um!” Se for pra ser assim, fique sozinho. Vale mais a pena.

Se você quer conquistar dizendo que ela vale menos que um, use  essa música sertaneja, dará muito mais certo.

Você não vale nada, mas eu te quero bem. Vale menos que um real, mas pra mim vale cem.

Agora sim, pode até ser brega, mas faz todo sentido. O que o cara quis falar? Que alguém inflacionou o coração dele. “Vale menos que um real, mas pra ele vale cem!” Economista do amor! Lindamente brega!!!! Diria mais, isso é poesia ReginaldoRossiniana!! E pense bem, provavelmente um cara que usa um trecho de música tão esdrúxulo vale menos que um real também. Sendo assim, agora a matemática pode ser usada: “Ele + Ela = 1.”

Como já disse, não use a razão. Afinal razão lembra divisão e o importante no amor não é dividir momentos, mas multiplicá-los. Use termos matemáticos, mas empregue-os bem. Ser romântico é legal, ser brega é legal. Ser ridículo NÃO!!!

Mudar, não muda nada!

Certo dia, uma amiga minha me falava:

– Meu namorado não muda. Eu não sei o que faço mais pra ele mudar.

Perguntei:

– Você já perguntou se ele quer mudar????

Ela ficou parada, com aquela cara de Eureka. Eu apenas ri. As pessoas geralmente estão interessadas em si em primeiro lugar, nessas horas é preciso fingir que não temos umbigo.

Se alguém não quer mudar, não adianta! Então o que fazer? Nada!!!

O importante não é o que a outra pessoa é, mas como você a vê. Certa vez me disseram: “o importante não é focar, mas focar no alvo certo.” Se você focar em aspectos negativos, certamente você verá um(a) monstro(a) e ai as coisas tendem a dificultar. Se você focar nos aspectos positivos, certamente você verá uma grande pessoa na sua frente.

Gandhi já dizia:

Seja a mudança que você deseja ver no mundo!

Lao-Tsé complementava:

Conhecer os outros é inteligência, conhecer-se a si próprio é verdadeira sabedoria. Controlar os outros é força, controlar-se a si próprio é verdadeiro poder.

Pra complementar ouçam essa linda música.

Continuar lendo

Liberdade e expressão

Imagine a seguinte situação:

Você está preso, condenado a prisão perpétua, entretanto existe uma limite físico, uma parede muito resistente entre você e o mundo. Dali as pessoas te veem e te escutam; tudo que disser todos ouvirão. Mas não lhe podem fazer mal algum, independente do que diga. O que você diria pro mundo?

Censurar-se por ser livre, ou ser livre por estar preso? Será que a liberdade está associada a algum tipo de prisão e vice-versa? Hummmm…??

E qual seria o exemplo mais clássico de prisão/liberdade?

Ora, as leis! As leis são como aquelas cordas da área VIP. “Não ultrapasse senão haverá consequências.” Estamos presos a certas leis, afim de estar livres. Agora pense: “Será que é coincidência que a Justiça valorize muito a Liberdade?” Não, não é! Valorizar a liberdade (prêmio) é melhor do que valorizar as leis (punição). O que ela quer dizer é: “Se você valoriza sua liberdade, obedeça as leis.” Ou seja, a liberdade é uma expressão!

Outro exemplo? Vida e vida pós-morte. Música e ideologia. Enfim, leitor e livro!

Cotidiano folgado

Era uma bela manhã nublada, mas sem chuva. Daquelas que bate um vento agradável e o céu está branquinho, branquinho. Na pressa por um almoço rápido, passo no drive-thru do Mc Donald’s, faço meu pedido e paro o carro no estacionamento para comer.

Neste momento, minha cabeça fica totalmente descansada, observando desatentamente os acontecimentos ao redor. Até que vejo uma cena bizarra.

Nas vagas da frente, uma mulher DO NADA abre a janela do carro, e joga no chão praticamente metade das batatinhas fritas dela. SIM, ela simplesmente jogou, afinal haviam alguns pombos “estacionados” na vaga do lado.

É, ela estava alimentando os pombos. Incentivando as criaturas a permanecerem ali pra sempre. E por contra própria, diga-se de passagem, afinal ela estava sozinha no carro.

O pior foi que, no momento do ato zela, tinha um carro quase entrando na vaga. Imagina se o carro entra e está com a janela aberta, e bem na hora a criatura joga as batatinhas?

Bem, o pior nem foi isso. Segundos depois, olhei para o carro do lado (um taxi) e já notei de imediato o indício de Zé ruelagem: o taxi estava parado ocupando duas vagas. Que eu saiba, uma vaga é perfeitamente suficiente para um carro, e a não ser que eu estava vesga, havia apenas um carro ali. Continuar lendo

O Susto

O susto é um dos gestos mais espontâneos do ser humano. Não é a toa, quando seu amigO dá àquele gritinho de susto, você já entende metade da história delE (ou delA, enfim…). O susto em geral é algo engraçado, justamente pela espontaneidade do momento.

Um quadro que acho muito singular é a obra de Edvard Munch, o Susto. Além de Macaulay Culkin. quem mais tomaria se assustaria assim? Você poderia até dizer, “mas o Macaulay Culkin não se ENQUADRA nesse tipo de susto.” (Isso era pra ser um piada, e engraçada, ok?) HA-HA

Segundo Froid, susto é o nome que damos ao estado que alguém fica após entrar em perigo sem estar preparado para ele, dando ênfase ao fator surpresa. Bem eu adoro colocar definições Freudianas, porque eu nunca entendo nada e me faz parecer inteligente. Enfim, pra mim susto é… tipo isso:

Pra quem tiver um pouco mais de saco, o vídeo abaixo tem sustos engraçados, vale a pena.

O homem da “voz de ouro”

Imagino que muitos certamente já ouviram falar de Ted Williams. É, nesse mundo de internet, a notícia corre solta, e em segundos, uma pessoa extremamente comum consegue ganhar uma notoriedade fora do normal.

Foi exatamente o que aconteceu com Ted Williams. Ele tinha uma vida normal, e por causa de bebida e drogas ele conseguiu arriunar tudo, virando mendigo. Porém, sempre com fé ele tomou a decisão de tentar dar a volta por cima e resolveu, com toda a humildade, divulgar para o mundo o seu talento natural. Um dia a sorte (ou seria graça Divina, como ele mesmo acredita?) veio ao seu encontro, e uns caras filmaram ele, mostrando seu talento e seu apelo de ajuda para o mundo.

Como eu falei no começo, nesse mundo de tecnologia, as notícias correm. E a ajuda veio.

Vejam aqui uma reportagem portuguesa falando sobre ele:

E essa é mais uma prova que a gente sempre pode recomeçar. Sempre, não importa a idade e a condição. Dar o primeiro passo para a mudaça é preciso (como diria o Mestre Yoda, hehehe).

Sério, eu fico repetindo o vídeo toda hora, é massa demais ver esse cara falando. 😀 Continuar lendo