Analisando: “Dança da vassoura”

Eu sei que é domingo de manhã. E ainda nem são 10 a.m ainda. Eu sei que acordei às 8h30 e neste momento interrompi a leitura de um texto da facul para escrever este post.

A verdade é que não resisti quando veio um pensamento profundo na minha mente: “diga aonde você vai que eu vou varrendo”. Daí eu parei pra pensar nessa frase, e me veio uma análise tão profunda quanto a de “ser ou não ser, eis a questão”,  questão ontológica mais analisada da literatura universal.

Assim, resolvi compartilhar uma análise inédita da letra completa desta obra clássica dos anos 90 (como já dizia a comunidade do orkut, não vi Beatles mas vi Molejo – reflita).

Vamos por parte.

Diga aonde você vai que eu vou varrendo (2x)

Vou varrendo, vou varrendo, vou varrendo, vou varrendo (2x)

A primeira frase ele quis dar uma mensagem direta: você não presta. Afinal, por que ele iria pedir pra você avisar por onde iria passar pra ele varrer? Quem varre, é por que está sujo, não? Alguém já varreu por que está limpo?? Imagino que funciona como a música dos mamonas: “e as vaquinhas, que por onde passam deixam um rastro de bos-que”. Hehehe.

Na parte dois ele utiliza um recurso estilístico para dar ênfase na idéia principal; ou seja, por meio da repetição, ele quer reforçar a idéia que ele vai varrer MESMO.

Ô menininha eu sou seu fã (2x)

Danço contigo até de manhã (2x)

Bom, aqui ele mudou de assunto bruscamente, talvez por tentar fazer alusão ao título do texto e assim dar algum sentido a ele.

Mas ainda há uma dúvida relacionada à palavra fã. Há divergências relacionadas ao seu uso. Uns dizem que ele tenta amenizar a situação do varrer anterior, e utiliza o recurso do eufemismo. Outros dizem que ele quis apenar dar sentido ao título que tem o nome “dança” e “vassoura” e utilizou o recurso da ironia (na estrofe anterior ele já fez alusão à palavra “vassoura” através do verbo “varrer”). 

Na dança da bruxinha dança preta dança lôra (2x)

Agora todo mundo na dancinha da vassôra (2x)

Nessa estrofe ele resolveu misturar os significados que dão sentido ao título. Assim, há referência mútua para “dança” e “vassoura”. Ele também quis mostrar seu espírito não preconceituoso com as etnias ‘negra’ e ‘caucasiana”.

Ele utilizou outro recurso interessante, o da rima. Por meio de combinações fonéticas ele criou uma espécie de ritmo para que o texto flua. Perceba que é um recurso presente em todo o texto.

Piti PI piti piti pau (2x)

Mas tome cuidado com o cabo da vassoura,

É pior do que cenoura, você pode se dar mal (2x tudo)

De novo a fonética presente. Por meio de interjeições há referência ao bater do cabo da vassoura. A palavra “pau” no final é colocada propositalmente com sentido ambíguo, fazendo alusões ao sexo masculino. Essa ambigüidade é reafirmada com a comparação de elementos pela forma.

A seguir, há um conselho que envolve cabo de vassoura e cenoura, afirmando que o primeiro é pior do que o segundo, e caso você opte por esse, você pode ser dar mal.

Bom, mal rima com pau. Vassoura rima com cenoura, por isso ele quis fazer essa comparação. Mas eu pensei em outra hipótese.

Mal rima com pau e não com piti. Agora ele quis dizer que cabos de vassoura e cenouras não têm tantos nutrientes quanto a acerola. Mas ainda assim, escolher cabo de vassoura é pior do que escolher cenoura, ainda que o melhor fosse escolher acerola. Sacou?

A parte da acerola fica implícita por que acerola não rima com nenhuma palavra da música.

Apesar dessa conversa nutritiva, no fundo no fundo ele queria um hambúrguer, que não tem nutriente nenhum, pois até cabo de vassoura é melhor. Só que ele deixa isso implícito, afinal seria um mal exemplo mostrar isso às crianças (há até outro texto do mesmo autor que faz alusão à importância de comer salada de frutas mista, mas esse fica pra outra ocasião).

Bom, como eu cheguei à essa conclusão? Fácil: o autor utilizou de novo o recurso da repetição junto com recursos matemáticos: 2x…2x…2x…2x…2x…2x…2x…2x tudo.  No final das contas, ele queria 2 x tudo. Ele deixou essa pista no final de cada verso.

Essa é a análise. Vou deixar a música aqui pra você cantar junto:

Anúncios

4 respostas em “Analisando: “Dança da vassoura”

  1. hauhauhauhau…. Dança da vassoura no domingo de manhã? Aonde vc foi ontem? kkkkkk…
    genteee… ri demais.. Fiquei imaginando a cena, vc lendo seus textos e refletindos sobre dança da vassoura… Ah nem… se não tivesse seu nome ali, juraria q era um texto do Euler.

    • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

      Muito bom mesmo. Análise de um música dessa merece destaque no Faustão! hehehehe
      Como a Nicole diz: “Fico imaginando vc estudando e tentando analisar a música.”
      uAHuAHAHuAHUAH

  2. AHaUhaUhauaHuahAUh

    Me vê 2 Xis-Tudo aí, tio!!!!
    Excelente reflexão sobre o cabo da vassoura e a cenoura hauhauhauh

    Precisamente o que as crianças precisariam saber sobre isso tudo hahahaha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s