O Susto

O susto é um dos gestos mais espontâneos do ser humano. Não é a toa, quando seu amigO dá àquele gritinho de susto, você já entende metade da história delE (ou delA, enfim…). O susto em geral é algo engraçado, justamente pela espontaneidade do momento.

Um quadro que acho muito singular é a obra de Edvard Munch, o Susto. Além de Macaulay Culkin. quem mais tomaria se assustaria assim? Você poderia até dizer, “mas o Macaulay Culkin não se ENQUADRA nesse tipo de susto.” (Isso era pra ser um piada, e engraçada, ok?) HA-HA

Segundo Froid, susto é o nome que damos ao estado que alguém fica após entrar em perigo sem estar preparado para ele, dando ênfase ao fator surpresa. Bem eu adoro colocar definições Freudianas, porque eu nunca entendo nada e me faz parecer inteligente. Enfim, pra mim susto é… tipo isso:

Pra quem tiver um pouco mais de saco, o vídeo abaixo tem sustos engraçados, vale a pena.

Anúncios

Efeitos Etílicos

Sigmund HarryPotterEnvelhecidoCareca Freud  explica: a mente humana é formada por três ‘camadas’: id, ego e superergo.

O id é o nosso subconsciente. É a camada sobre a qual não temos controle e compreensão alguns. No id se encontra a nossa essência mais pura, nossas vontades e pensamentos mais sinceros.

O superego é a camada onde se encontram leis e regras – convenções – que aprendemos desde quando saímos da barriga de nossa mão. É a camada que ‘molda’ e ‘censura’ o id, adequando-o à vida em sociedade.

O ego, assim, é a subtração id – superego, ou seja, são as coisas do id que passaram na peneira do superego. É a maneira como nos mostramos para a sociedade, é o nosso “eu” do qual temos consciência.  

Apesar da evolução do ser humano, acredito que algumas pessoas ainda possuem um ‘id’ não desenvolvido. Isso porque quando estão em situações de falta de consciência, ou seja, situações onde o superego não reprime o id, elas revelam uma postura… ahn…retardada. Porém, essa opinião que eu acabei de expressar poderia ser meu superego se manifestando e censurando o id alheio, não? Enfim, hahaha.

Entendo que a plavra ‘retardada’ pode soar meio rude, mas é a que melhor expressa o que quero dizer. Imagino que neste momento ficar explicando demais não será eficiente. Assim, deixo que tirem suas próprias conclusões, levando em conta a teoria ‘Fróid explica’: Continuar lendo