Lembranças Literárias

Desde pequena eu sempre gostei de livros. Algo neles me fascinava, não sei explicar exatamente o que. Talvez sua aparência, a arte da capa, o ar misterioso ou a maneira como eles ficam enfileirados na estante.

Porém, apesar de gostar de livros, eu tinha certa preguiça de ler. Pois é, eu sempre quis ler livros grandes, mas ao olhar para a grossura da quantidade de páginas, batia um desânimo assustador. Inexplicável.

Lembro que na minha 6ª série, aos 11 anos, eu adorava ler uns livros de uma coleção chamada “A Turma dos Tigres”. Eram historinhas de mistério e aventura com uma pitada de comédia. Nossa, como eu amava aquilo! O legal desses livros é que tinha, ao final de cada capítulo, uma pergunta para você responder; e para verificar a resposta, tinha que passar um decodificador que vinha no livro – era uma maneira de você participar do mistério também (nerds, pode falar, hahahaha).

Só que esses livros tinham umas 40, 50 páginas no máximo, hahaha. Juro, na época eu achava Harry Potter e a Pedra Filosofal um livro abisalmente enorme.

 Tenso.

Continuar lendo

Anúncios

Quando o mundo ficar de cabeça para baixo…

“(…) Esquerda… direita… novamente à esquerda… em duas ocasiões ele foi dar em trilhas sem saída. Harry executou o Feitiço dos Quatro Pontos mais uma vez e descobriu que se afastara demais para leste. Retrocedeu, tomou a trilha à direita e viu uma estranha névoa dourada flutuando mais adiante.

Aproximou-se cautelosamente, apontando para a névoa o facho de luz da varinha. Parecia algum tipo de encantamento. Ele se perguntou se seria capaz de explodi-la para desimpedir o caminho.

-Reducto! – ordenou.

O feitiço atravessou a névoa, deixando-a intacta. O garoto concluiu que devia ter sabido: o Feitiço Redutor só servia para objetos sólidos. Que aconteceria se ele atravessasse a névoa? Valeria a pena arriscar ou deveria retroceder?

Ele ainda hesitava, quando um grito rompeu o silêncio.

-Fleur? – berrou Harry.

Silêncio. Ele olhou para todos os lados. Que acontecera com a garota? Seu grito parecia ter vindo de algum lugar à frente. O garoto inspirou profundamente e atravessou a névoa encantada.

O mundo virou de cabeça para baixo. Continuar lendo