Trai são

A traição é um tema difícil, afinal quem nunca se sentiu traído? Seja no amor, na amizade ou no trabalho? Um dos sentimentos mais chatos, pois toda confiança depositada na pessoa te faz sentir um idiota. Mas então o que me faz passear em terreno tão perigo, um verdadeiro campo minado? Pesquisas. Apenas pesquisas.

A universidade de Joana Esburgo, uma das maiores na matéria psicologia da mulher, publicou um trabalho que mostra que a grande diferença entre homem e a mulher é apenas a criação. Diz o trecho do artigo: “Desde Adão e Eva, até meu Pai e tua Mãe, os homens tem uma educação voltada à escolha de sua carreira ou do seu time (no caso o time pode ser substituído por outro esporte). Já a mulher tem a educação voltada para a escolha de seu marido e das roupas e etiquetas a serem usadas.” Sim, sim, eu também achei uma visão machista, mas o que posso falar sobre uma pesquisa deste porte?

A explicação é verossímil. A pesquisadora chefe do projeto, Linda Trayson, observa que o homem geralmente é fiel a sua carreira ou seu time. A escolha de sua equipe é emblemática, pois ao escolhê-lo passa a vida toda com o mesmo time mesmo suportando diversas decepções da vida. Isso já não acontece com sua mulher, afinal essa escolha é tratada de forma superficial em sua criação. Logo não é difícil ver homens com nove casamentos, enquanto permanece um amor eterno pelo seu time do coração.

Continuar lendo