O que é real?

O que é real? E o que não é?

O questionamento a respeito de sua origem e finalidade é algo que dá voltas na mente do ser humano desde os tempos mais remotos. Por que nascemos? Para que nascemos? Para onde vamos depois da vida?

Quando eu era pequena, eu costumava me questionar a respeito dessa origem. Pensava, “e se não existisse vida, como seria?” e também “por que eu tenho uma consciência? E se eu não tivesse?”. Pensava a respeito da existência de Deus, será que ele existe mesmo? Eu não tinha dúvidas de que existe de fato uma força maior do que o ser humano, que é a responsável pela natureza (ou é a própria natureza). Porém, me indagava a respeito da forma que essa tal força poderia assumir (Deus? Seres de outro planeta? Uma energia concentrada?).

Essas idéias foram reavivadas hoje depois de ter assistido ao filme A Origem. É, sou atrasada de cinema, mas paciência, só fui ver hoje.

O filme fala a respeito do funcionamento da mente humana; como ela se expressa por meio das lembranças e sonhos, e como o subconsciente (que seria uma espécie de caixa-preta) pode atuar dentro de seus limites. Assim, no filme há uma tecnologia que permite “entrar” na mente das pessoas por meio do sonho, e assim compartilhar memórias e pensamentos, podendo-se atingir até informações “escondidas” pelo subconsciente.

De alguma forma, essa relação sonho – mente – subconsciente faz indagar a respeito da realidade: o sonho é o reflexo do real? Ou o real é o reflexo do sonho, que é a expressão do nosso subconsciente? (Em outras palavras, o real não é real). Continuar lendo

Anúncios