Tenis x Frescobol

Eu não tenho palavras para descrever a sensação de ler um texto bom. Texto bom do tipo que toca na alma, chacoalha a mente, faz pensar, promove mudança e entendimento.

Ao longo da vida eu tive a sorte de me deparar com alguns textos desse tipo. Talvez foi graças a eles que decidi me aventurar nesse caminho de escrever, buscando, algum dia, poder tocar as pessoas da mesma maneira que eles fizeram comigo.

Assim, hoje eu li um texto genial, e não vejo motivos para não divulgá-lo com todos. É do Rubem Álves, e aqui você pode encontrar mais textos geniais.

Deliciem-se! 🙂

Continuar lendo

Anúncios

O casal perfeito.

 

Um amigo de faculdade escreve num blog e tem textos bem interessantes. Achei interessante e resolvi postar o último texto dele. Pra quem quiser conhecê-lo fica o link do Filipe. http://avozdofilipe.blogspot.com/
Manter um relacionamento com alguém não é fácil, nunca foi e nunca será. Seja com nossos pais, seja com nossos amigos, seja com a pessoa com a qual dividiremos o findar dos nossos dias. Um relacionamento sem amor não se sustenta e tende a falência, assim como um relacionamento sem cumplicidade. Cumplicidade essa nas grandes e nas pequenas coisas. Temos que ser cúmplices nas idéias, nas grandes edificações e até mesmo nas cagadas do dia-a-dia. Baseado nessa idéia hoje descrevo uma situação que vivenciei e me fez pensar. Aproveite.


Como eu estava com fome! Estava eu no meu horário de almoço perambulando pelo shopping center sem saber o fazer. Naquele momento me senti uma mulher batendo pernas, algo que critico tanto em minha mãe , e essa, me desculpe, fica pra depois.  A barriga roncava como um motor Volvo puxador de trator. As cobras intestinais se remoíam numa briga incessante para matar a fome. Não teve jeito, tive que almoçar por lá mesmo.
Depois de fazer o pedido procurei uma mesa para me sentar, coisa muito non grata naquelas horas. O shopping estava lotado, tão lotado que tive que um casal teve que dividir mesa comigo. Me sentei a direita deles e eles, logicamente, ficaram a minha esquerda.  Coloquei a minha mochila na mesa e esperei pacientemente o meu pedido chegar. De repente chegou outro casal, a minha direita.

Não sei o porquê daquilo, mas no momento me lembrei da minha namorada. Lembrei do quanto a gente se amava (e se ama) e fiquei imaginando como a gente seria quando chegássemos a posteridade. Viajei, viajei demais. Mas a viajem não foi o bastante, gostaria de um exemplo ali no momento, ao vivo e a cores. E, como mágica, os exemplos estavam lá: os dois casais que estavam ao meu lado.
Então, comecei a observar os dois casais. O casal da direita era até simpático mas não era o que imaginava como modelo a ser seguido. Primeiro pelas roupas. Os dois vestiam da cintura para cima azul e da cintura para baixo preto. Sabe aquela roupa de irmãos gêmeos? Era daquele tipo. Continuei observando e o silêncio entre eles incomodava. Eles não se falavam, os olhares não se encontravam, pareciam mais primos do que marido e mulher. Eu achei estranho demais e fiquei desapontado. Não vi cumplicidade, não senti o cheiro do amor que exala de nós quando estamos apaixonados. Não sei, não queria aquilo para mim. Continuar lendo

Desculpe Jabor! Love is all we need.

Olha… confesso que agora sim não resta nenhum indício de angústia por causa do que li naquele blog (para entender a história, clique aqui). E gostaria de aproveitar o momento para pedir desculpas em público ao Arnaldo Jabor. Quero dizer, depois de uma coisa que ele disse sobre shows de rock eu passei a não gostar dele, e isso me fez descartar qualquer coisa cuja a fonte fosse ele. Para mim, ele não passava de um babaca arrogante e elitista da rede globo. Tá, preconceito, eu sei. Estou me desculpando, afinal recebi um texto dele o qual acho que todas as pessoas deviam ler.

Sim, apesar da visão elitista, ele tem visão sobre as coisas, e isso é importante. Quem nunca falou bobagens para defender sua emissora, afinal de contas? Todo mundo já! 😛

Enfim, Jabor, prometo que meu preconceito com relação às coisas que você diz acabaram agora. Você me cativou, haha! Ponto!! \o/

Nem tudo está perdido, pessoas! Hehehe, poderei tomar meu sorvete em paz hoje. 🙂

Estamos com fome de amor

Color conquest - part II
Arnaldo Jabor

O que temos visto por ai ??? Continuar lendo

O Tango e sua história

Adoro quando o blog ganha colaborações interessantes… Deu até vontade de aprender a dançar tango depois de ver os vídeos, haha! 🙂

por Luiz Fernando

Con permiso… ¡Yo soy el Tango…!

Yo soy el tango que llega por las calles del recuerdo…
¿Donde nací? Ni me acuerdo, en una esquina cualquiera.

Una luna arrabalera y un bandoneón son testigos.
Yo soy el tango argentino, cuando guste, ¡cuando guste y donde quiera!

 

Com licença… Eu sou o Tango!

Eu sou o tango que chega pelas ruas das lembranças…

Aonde nasci? Nem me lembro, em uma esquina qualquer.

Uma lua suburbana e um bandoneón são testemunhas.

Eu sou o tango argentina, quando goste, quando goste e onde queira!

(Letra de Gotan Project, Inspiración, La Cumparsita)


 

Complexo por natureza e heterogêneo por formação, o tango é hoje muito mais do que uma música, uma dança. Gerado nos berços híbridos da região do Rio da Prata, o estilo tango obteve suas várias facetas e formas, acrescentando a si a cultura de quem direto ou indiretamente o formatou.

Explicar o tango a quem não o conhece de verdade é muito difícil. Dança sensual, música bem construída, movimentos firmes e elegantes, letras pesadas e técnicas avançadas, todos são visualizações superficiais do tango que apenas definem o visual e o audível. O tango vai além, entra no âmago do espírito de quem o ama, transforma a vida de quem o deseja. Caminhar é tango, se relacionar também. Pensar, sentir, beijar, amar, conversar, trabalhar, sonhar, tudo isso é ser tanguero. A dança e a música são apenas instrumentos da vida e reflexos de quem vive o tango. Continuar lendo

Democracia?

Hoje temos uma colaboração de um Bróóóther! Meu amigo Luiz Fernando. Ele estuda relações internacionais e tem uma visão bem legal da situação do país. Vale a pena parar e ler. Recomendo.

Essa semana, como muitos puderam ver, fiz alguns comentários no blog quanto às críticas e análises políticas em Brasília e no Brasil, no geral. Foi dessa forma que meu caríssimo e querido amigo Euler Alencar me pediu que escrevesse sobre as diretrizes políticas atuais, levantando pontos e aspectos que considero interessantes e pertinentes. Bom, primeiro deixo claro meu perfil um tanto quanto crítico e cético, ao passo que, de certa forma, idealista e exigente. Assim preparo vocês antes pra “bomba” que me propus a escrever.

Pra começar, devo trazer novamente à tona uma frase que já utilizei num dos meus comentários: falar sobre as eleições é, necessariamente, falar sobre a democracia. Desde que comecei a analisar e estudar políticas e suas ciências – o que engloba a democracia – sempre averiguei que eleições são eventos que normalmente ocorrem em democracias. Portanto, é evidente que não trato de ditaduras nem períodos semi-democrático, por mais que vícios existam, como currais eleitorais e intervenções no processo eleitoral, não sendo cabível comparar momentos. Em seguida vos pergunto pragmaticamente: o que é democracia? Será que a vivemos? Como podemos saber? É sobre as linhas gerais destas perguntas que previamente concluo o quanto nós brasilienses não somos democráticos.

Continuar lendo

Voto limpo?

Oi gente! Hoje temos o prazer de ler um post escrito pela Carol, minha querida amiga dona da loja com os brigadeiros mais gostosos, que se sentiu muito incomodada com uma situação e resolveu desabafar escrevendo.

Quem quiser conhecer os brigadeiros da Cioccolata Di Boaretto, podem seguir o twitter @diboaretto ou acessar o site. 🙂

Brasília, 03 de outubro de 2010. Em pleno dia de eleições, na capital do país, toneladas e mais toneladas de panfletos das campanhas políticas sujam as ruas. Eu não sei vocês, mas eu fiquei muito incomodada.

Senti vergonha de morar aqui. Não só pela sujeira, mas pela indiferença das pessoas em relação à questão. Passear pelas calçadas, repletas de papel, Continuar lendo

Só tem mulher quem pode

É com grande prazer que hoje o Ermo recebe uma colaboração ilustre! Sim, de um grande amigo, sempre presente nos momentos de reflexão com suas belas palavras: Luiz. 🙂

Bem, imagino que muitos devem conhecê-lo por seu sobrenome: Veríssimo.

Haha, acabei de descobri que ele faz aniversário no mesmo dia que eu! Adorei! 🙂

Espero que gostem!

Continuar lendo

Os livros e suas dedicatórias

Oi gente! Dessa vez eu não venho escrever post nenhum! Venho apenas apresentar um post interessante que a minha amiga Jana escreveu como colaboração pro Ermo!

É, o Ermo adora colaborações interessantes! Se você quiser, vem ser mu amigo e me cative, quem sabe eu não permito também? Hauhauhuha! =P

Com vocês…Jana!

Fui convidada pela Lulu para fazer um post para o Ermo. Então, senta que lá vem história 😉

 Ano passado, estava fazendo um trabalho para a faculdade e peguei vários livros na biblioteca. Pra minha surpresa, ao abrir um dos livros, encontrei a seguinte dedicatória:

 

“À querida amiga Eliana, que muito me recorda o início dos anos 70, quando começávamos o Mestrado em Economia. Com a certeza de que o Brasil ganhará muito com o seu regresso. Um abraço afetuoso do X (não consegui decifrar a assinatura). Brasília, 11 de março de 86 (pelo menos eu acho que é 86…)” Continuar lendo

Mulher de Fases

Desde tempos remotos sabe-se da grande influência da lua sobre a vida humana e em especial na vida da mulher. Analisemos! Na lua cheia ficamos mais sentimentais, muitas vezes com nossas razões transtornadas e até mesmo aptas a perder o controle de nossas atitudes (bem, não tomem isso como verdade absoluta). Assim como a lua cheia, estamos em plenitude nessa fase. Você sabia que o período fértil da mulher (lá pelo 14º dia do ciclo) acontece exatamente na lua cheia, e se a menstruação tiver ocorrido na lua nova? È uma fase intensa onde os fluxos hormonais estão a mil (sai de baixo!). Dizem que as fases da lua influem até nas águas dos mares e nas marés do oceano. E se nosso corpo é composto 70% por água, acho que nossos líquidos respondem a essa mudança. A lua mexe com o psiquismo humano. Exalta os sentimentos mais profundos e ardentes. Desperta o fogo, a paixão, a ira.

Um recado para os cuecas de plantão: de olho na lua pra saber a melhor hora de se aproximar da gata, senão tu pode levar uma unhada que jamais esquecerá! Mas não se apavorem! Logo a lua diminui e tudo fica na calmaria, na paz e no amor. Bem, pelo menos pelas próximas 4 semanas!

—————————————————————————————

Texto enviado pela amiga Elaine.