Efeito Borboleta

Acho que todos já ouvimos falar do efeito borboleta. Bem para quem nunca ouviu explico o que significa. Este efeito refere-se a teoria do caos. De forma alegórica é dito que o bater de asas de uma borboleta no Brasil poderia provocar um tufão no outro lado do mundo, Japão, por exemplo. Japão não, ele já tá sofrendo demais. Que tal Austrália. Bem, essa é uma definição popular. O que a teoria do caos diz é que ao analisar movimentos caóticos em um gráfico percebe-se que aqueles movimentos de aleatórios tornam-se padronizados na forma de uma borboleta, como mostra o gráfico abaixo.
Este efeito foi descrito por Edward Lorenz quando trabalhava com previsões metereológicas. Ele inseriu duas informações iniciais, ligeiramente diferentes um da outra, e verificou a influência destas, concluindo que a diferença de um tornado para uma chuva tropical estava apenas nessa pequena diferença.
Pode parecer surreal, mas em 19 fevereiro de 1998 no EUA, diagnosticaram um tempestade tropical sobre a Louisiana esperada para os próximos três dias. Entretanto no oceano pacífico um meteorologista descobriu que existia uma pequena diferença nas medições executadas. Em função dessas diferenças foi realizado uma nova previsão detectando que a tempestade tropical não mais ocorreria em Lousiana. Ufa, agora Louisiana poderia respirar aliviada. Entretanto haveria um tornado de proporções gigantescas em Orlando. Como diria um amigo meu, FU… Previsão confirmada em 22 fevereiro de 1998.
Mudando um pouco de assunto, há mais ou menos um mês rodou pela internet o caso do garoto Casey Heynes, de 16 anos, estudante de uma escola australiana. Lembro-me muito bem que na época foram feitas diversas reportagens sobre o garoto, a repercussão positiva em cima do fato dele ter revidado ao suposto bulling. O garoto virou herói, sendo realizada diversas entrevistas, mostrando como agora ele era querido por diversas pessoas do mundo todo. Os psicólogos, as emissoras, as pessoas, uma parcela incrível da população se mostrava a favor daquele que sofrerá bulling, como podemos ver no vídeo abaixo:
Casey foi ameaçado, levou um soco na cara, estava prestes a levar outro. Jesus já dizia dê a outra face, o problema é que só temos duas. No terceiro ato de violência houve a reação e assim foi. Uma reação em cadeia. Um bater de asas, um bater na cara, acontecendo ali na Austrália. Será que isso poderia gerar um tornado no Brasil?
Ontem abri o jornal e dizia que o assassino de Realengo tinha parabenizado o garoto Casey Heynes, que ele era um exemplo da luta contra o bulling. Para milhões de pessoas Casey foi uma inspiração, um exemplo de que reagir ao bulling forma violenta é de certa forma tolerável. Para uma mente saudável o significado da expressão “reagir de forma violenta” tem um sentido totalmente diferente de uma mente doente. Estimular a violência, mesmo aquela reacionária, pode ser o estopim, pode ser o início de um furacão. E quem garante que não? Reagir ao bulling sofrido a anos atrás, talvez tenha sido esse a lição que o assassino de Realengo tirou do que aconteceu no país dos canguros.
Quando Jesus dizia para dar a outra face, acredito que dizia, não reaja a violência com mais violência. Se ao bater as asas uma borboleta pode levar a um furação no outro lado do mundo, imagina as consequências do mundo batendo palmas para um ato violento? De repente, isso pode tornar o mundo um pouco turbulento. De repente, o efeito borboleta está nas palmas da sua mão.
Anúncios

2 respostas em “Efeito Borboleta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s