Lembranças Literárias

Desde pequena eu sempre gostei de livros. Algo neles me fascinava, não sei explicar exatamente o que. Talvez sua aparência, a arte da capa, o ar misterioso ou a maneira como eles ficam enfileirados na estante.

Porém, apesar de gostar de livros, eu tinha certa preguiça de ler. Pois é, eu sempre quis ler livros grandes, mas ao olhar para a grossura da quantidade de páginas, batia um desânimo assustador. Inexplicável.

Lembro que na minha 6ª série, aos 11 anos, eu adorava ler uns livros de uma coleção chamada “A Turma dos Tigres”. Eram historinhas de mistério e aventura com uma pitada de comédia. Nossa, como eu amava aquilo! O legal desses livros é que tinha, ao final de cada capítulo, uma pergunta para você responder; e para verificar a resposta, tinha que passar um decodificador que vinha no livro – era uma maneira de você participar do mistério também (nerds, pode falar, hahahaha).

Só que esses livros tinham umas 40, 50 páginas no máximo, hahaha. Juro, na época eu achava Harry Potter e a Pedra Filosofal um livro abisalmente enorme.

 Tenso.

 Enfim, tenho uma memória nítida dessa época. Foi um belo dia de férias, minha mãe estava na sala corrigindo provas, e eu estava sem absolutamente nada pra fazer. Daí eu ficava andando pela casa: ia pro quarto, daí pro quarto do meu irmão, pra cozinha, e então pra sala. Sentava no sofá, ligava a TV, minha mãe reclamava e mandava desligar por estar atrapalhando ela, eu desligava e ficava olhando pra parede. Um tempo depois levantava de novo e recomeçava minha tour pela casa. Por algum motivo, minha mãe se irritou com minha inquietação. No limite de sua paciência, ela me chama e fala:

“Luciana, você ta de castigo. Vai sentar no sofá e ler, pelo menos, o primeiro capítulo de Harry potter”.

Quem me conhece vai rir depois de ler isso. Mas acontece que na época eu realmente estava relutando a ler esse livro. Não era mania gostar de Harry Potter, nem todo mundo conhecia ainda e eu tinha preguiça pois achava o livro grande.

Bem, eu não tinha nada pra fazer mesmo, e minha amiga-vizinha ainda não tinha chegado em casa, resolvi sentar e começar a ler o bendito. É… quando eu menos percebi, eu já estava no capítulo quatro, e eu não queria parar de ler para almoçar.

Engoli o prato na hora do almoço e voltei a ler. Minha amiga já tinha chegado e ela estava brava porque eu não queria ir para debaixo do bloco pois estava lendo.

À noite, eu não queria dormir para ficar lendo – uma hora que eu tive que ceder. Mas assim que acordei, nem cheguei a levantar da cama, peguei o livro e continuei lendo.

 Comédia.

 Daí depois desse dia, eu realmente fui profundamente cativada pela J.K Rowling. Como eu não tinha um outro livro do Harry Potter, eu ficava relendo o livro 1. Engraçado como o discurso da minha mãe mudou:

“Luciana, vai ler outro livro. Se ficar lendo esse aí de novo, vai ficar de castigo!”

 Me lembro de meu irmão e eu sentados no sofá, com uns livros do Malba Tahan abertos, mas com os Harry Potter abertos dentro deles, hahahahaha. Métodos para enganar minha mãe, o sonho dela era que lêssemos Malba Tahan (até hoje esses livros tão aqui em casa, intactos).

 Depois disso, meu caminho para a leitura foi completamente aberto. Meu maior desafio, entretanto, ficou sendo encontrar histórias que me cativem da mesma forma que a história de J.K.Rowling.

Anúncios

5 respostas em “Lembranças Literárias

  1. Muito legal, principalmente a mudança do discurso da sua mãe. O maior livro que eu li foi “As Crônicas de Nárnia” e li porque todo mundo tinha visto o filme e eu não. Então, uma das primeiras coisas que fiz quando recebi os meus primeiros salários como Estatístico foi comprar o livro. Eu lia sempre no ônibus, é a única hora que tenho paz para sentar e ler. Hoje fico meio sequelado se não leio, pior ainda se não escrevo.

  2. Meus primeiros livros foram casos policiais de Agatha Christie! “Os crimes A B C”, se não me engano… depois eu li “O Cemitério” do Stephen King, com 9 ou 10 anos, o que me deixou sem sono por algum tempo. Mesmo morrendo de medo, eu não conseguia deixar de ler, bizarro =P

    Harry Potter veio muito depois, li todos. Nos últimos a fome de ler era tanta que nem esperei sair em português. Senhor dos Anéis eu li antes de Harry Potter, precisei reler umas duas ou três vezes até entender o que era nome de gente, de bicho, de cidade, de deus, etc…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s