Destination Unknown

Novas empreitadas estão a caminho! O que fazer? Afinal, isso requer uma mudança quase radical. Uai, como algo pode ser quase radical? Simples: sendo. Por que não poderia ser? O que impede? Paradigmas socialmente aceitos? Ah, é só deixá-los de lado por um momento, simples assim.

Mas mudança radical é difícil, gera um frio na barriga, um medinho de curiosidade do que vai acontecer depois. Ou um medão de preocupação seguido por um “e se não der certo?”. Li em um livro que costumamos ter medo da morte, ou do escuro; mas na verdade, o que realmente tememos é o desconhecido. Unknown. Desconocido. Unbekannt. Iconnu. Sconosciuto. 不明.

Reflexo da nossa natureza humanoide de querer ter tudo sob controle, de prever as coisas. Isso é bom, pois traz garantia, o que gera uma sensação de tranquilidade. Mas é legal ter imprevistos, pensar rápido, testar sua flexibilidade para resolver uma situação não planejada. Isso é o que nos faz aprimorar e evoluir, afinal de contas. O custo benefício acaba sendo maior.

É possível, entretanto, ter tranquilidade frente ao imprevisto. Isso, acredito, deve ser o aprimoramento de nível máximo, afinal uma vez atingido, gera o maior crescimento. Fico lembrando dos filmes de luta oriental onde os pupilos ficam na sede de lutar e treinar e ficarem fortes, enquanto os mestres enfatizam o controle da mente e a tranquilidade. Já viram karate kid, Kung Fu Panda, O ultimo samurai??

Novas empreitadas estão a caminho? Aproveite-as. Mude se for preciso, troque o medo pela caixinha de surpresas. Afinal de contas, os dois são imprevisíveis, mas um gera pensamentos negativos e o outro não… A caixinha de surpresas gera emoção e coragem pelo novo. O desconhecido vira o novo. Sacou?

Saquei. Mas e agora?

E agora?? E agora é nóis! Simples assim! Se joga! \o/

Anúncios

9 respostas em “Destination Unknown

  1. Carak, muito bom. Por alguma razão temos uma mente tão negativa que temos mais medo de ir para o inferno do que o entusiamos do paraíso. Então quando temos planos para o futuro, temos mt mais medo do que pode dar errado, do que a perpectiva do que pode dar certo.
    Isso é a vida.

    • É exatamente isso, cara, pois ninguém tem medo de ser feliz, mas de ser infeliz. Ninguém precisa se preocupar com aquilo que vai lhe dar alegria, basta curtir, mas vai precisar se preocupar em como remediar uma situação ruim, pois afinal, quem gosta de ficar na merda é varejeira. Quem se vê numa situação ruim, rapidamente quer sair dela. O trauma carregado por situações ruins da vida leva a pessoa a evitá-las, por isso a preocupação e o medo são naturais. A grande dificuldade é saber quando fazer isso. Deve-se medir as extensões do possível dano e as vantagens que se pode adquirir ao mudar. Tudo é questão de pesar o custo/benefício…

    • É exatamente isso, cara, pois ninguém tem medo de ser feliz, mas de ser infeliz. Ninguém precisa se preocupar com aquilo que vai lhe dar alegria, basta curtir, mas vai precisar se preocupar em como remediar uma situação ruim, pois afinal, quem gosta de ficar na merda é varejeira. Quem se vê numa situação ruim, rapidamente quer sair dela. O trauma carregado por situações ruins da vida leva a pessoa a evitá-las, por isso a preocupação e o medo são naturais. A grande dificuldade é saber quando fazer isso. Deve-se medir as extensões do possível dano e as vantagens que se pode adquirir ao mudar. Tudo é questão de pesar o custo/benefício…

  2. Lu, toda vez que leio seus textos, escuto sua voz na minha cabeça =]

    Então, por isso sempre penso no plano B, C, D, E…tento pensar em todas as possibilidades. Tanto nas boas quanto nas ruins. Mas é tão bom, quando vc acha que uma coisa não vai dar certo e no fim das contas sai tudo perfeito…isso tem a ver com a expectativa. Às vezes não coloco emoção nas expectativas para não atrapalhar o desenvolvimento dos fatos, prefiro agir cautelosamente até ter certeza que realmente foi um sucesso.
    Por outro lado, é muito ruim se decepcionar quando as coisas saem do controle. Quando isso ocorre, penso que de fato, não foi tão ruim, só foi contra minha vontade. E quem disse que a minha vontade prevalece??? Nem sempre o que a gente quer é o melhor, muitas vezes nossas vontades são substituidas por acontecimentos inesperados (como a Lu disse) que se mostram mais coerentes com a realidade e até mesmo melhores que o esperado. Tudo é uma questão de visão! Se mudarmos nossa maneira de interpretar os fatos, fica fácil.

    =****

  3. hahaha, eu também ouço a voz da Lu na minha cabeça quando o texto é dela…

    Medo do desconhecido com certeza é uma daquelas características primitivas vestigiais que todo ser humano tem, como a pareidolia (que é a habilidade de distinguir rostos, muito útil para identificar seres humanos, mas faz você pensar que isso é uma cadeira feliz http://30.media.tumblr.com/7wwNYJv0Z6z1vctrJ4xUToPP_500.jpg ).

    O medo é bom até o ponto que limita seu potencial de fazer burradas, mas é ruim quando impede seu crescimento. É como o ga, bom tê-lo e saber como manifestá-lo o/

    Muito bom o blog de vcs =D

    • heaiuheauehiue, amigoo não fique assim, eu não só ouço sua voz como também consigo ver vc no mc me contando a EXtória! HAIUHAIUHAIUHAIUHA
      bjoos

  4. Que lindo Lu! Adorei esse post 🙂
    Isso me fez lembrar uma frase que um velho amigo me disse uma vez: A vida é como agua. Se deixar ela estancada… apodrece.

    😉 Saudades Lulus **

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s