Quando o mundo ficar de cabeça para baixo…

“(…) Esquerda… direita… novamente à esquerda… em duas ocasiões ele foi dar em trilhas sem saída. Harry executou o Feitiço dos Quatro Pontos mais uma vez e descobriu que se afastara demais para leste. Retrocedeu, tomou a trilha à direita e viu uma estranha névoa dourada flutuando mais adiante.

Aproximou-se cautelosamente, apontando para a névoa o facho de luz da varinha. Parecia algum tipo de encantamento. Ele se perguntou se seria capaz de explodi-la para desimpedir o caminho.

-Reducto! – ordenou.

O feitiço atravessou a névoa, deixando-a intacta. O garoto concluiu que devia ter sabido: o Feitiço Redutor só servia para objetos sólidos. Que aconteceria se ele atravessasse a névoa? Valeria a pena arriscar ou deveria retroceder?

Ele ainda hesitava, quando um grito rompeu o silêncio.

-Fleur? – berrou Harry.

Silêncio. Ele olhou para todos os lados. Que acontecera com a garota? Seu grito parecia ter vindo de algum lugar à frente. O garoto inspirou profundamente e atravessou a névoa encantada.

O mundo virou de cabeça para baixo. Harry ficou pendurado no chão, os cabelos em pé, os óculos balançando fora do nariz, ameaçando cair no céu infinito. Ele os segurou na ponta do nariz e continuou pendurado ali, aterrorizado. Tinha a sensação de que seus pés estavam grudados na grama, que agora se transformara em teto. Abaixo, o céu pontilhado de estrelas se estendia infinitamente. Harry sentiu que se tentasse mexer um pé, despencaria da terra de vez.

Pense, disse a si mesmo, enquanto todo o seu sangue afluía à cabeça, pense

Mas nenhum dos feitiços que praticara se destinava a combater uma repentina inversão de terra e céu. Ousaria mexer um pé? Ele ouviu o sangue latejar com força em seus ouvidos. Tinha duas opções – tentar mexer ou disparar faíscas vermelhas e ser socorrido e desqualificado da tarefa.

Harry fechou os olhos para evitar contemplar o espaço infinito abaixo dele e puxou o pé direito com toda a força que pôde do teto gramado.

Imediatamente o mundo se endireitou.  (…)”

 Lendo Harry Potter e aprendendo. Quantas vezes a gente não se desespera loucamente quando nos deparamos com obstáculos pequenos, mas com aparência de monstruosos? Por mais que sentimos o mundo de cabeça para baixo, devemos ter coragem para agir. Desistir é muuuuuito fácil, tudo fica na mesma, não crescemos nem atingimos conquistas. Medo? Tá na hora de excluir essa palavra do vocabulário, afinal os próprios Maias já previram o fim da era do medo.

A vida é muito simples. Quer endireitar a sua?? Comece dando o primeiro passo: as coisas se endireitarão, certeeeza!

Na primeira vez que eu li esse trecho da história do Harry, eu pensei muito a respeito dessa metáfora aí. Achei perfeita, porque é simples! Daí não me contive né, precisei compartilhar aqui.

A história de J.K.Rowling é cheia delas, se você gostou dessa, leia a obra completa! Não se deixe alienar pelos modismos e filmes, leia o livro com a mente aberta. 😀

Anúncios

Uma resposta em “Quando o mundo ficar de cabeça para baixo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s