Peidei mas não fui eu!

Peid´água

O peido é uma matéria de alto teor filosófico. A flatulência é vista com um poderio igual ao de uma bomba em alguns casos. Tem o poder de destruir o poder, o respeito, o status e até iniciar batalhas. Quem nunca ficou com medo, por exemplo, de peidar na frente da paquera, na frente do chefe, na frente de alguém que considere importante? E para completar, me faço a pergunta: “por que o pum é considerado tão ofensivo?”.

Creio que isso acontece por que culturalmente existe um certo preconceito contra o pum. Olha a relação do peido e o arroto. A diferença é apenas vetorial mas se você arrota sem querer, peça desculpas e ponto final. Tudo resolvido. Agora se você peida sem querer a vergonha é tanta que você não consegue pedir nem desculpa. E pior, a reação das pessoas é uma merda.

Tenho um amigo que sempre que estamos em alguma festa ele solta seus traques, e ele já é conhecido por tal artimanha. Sempre que ele solta a bufa vem com aquela cara de pau: “Nossa que fedor é esse, bicho?”. É, tá bom, eu confesso que já soltei umas bufas perto dele sabendo que a culpa cairia sobre ele. Como diria o Chaves: “Foi sem querer querendo… É que me escapuliu!”.

A história mostra diversos exemplos de como o peido influenciou alguns acontecimentos importantes. Em 423 a.C., o dramaturgo grego Aristófanes já fazia piadas de peidos na sua famosa peça As Nuvens. O texto clássico explica o trovão como sendo uma espécie de flatulência das nuvens, ridicularizando os deuses gregos da época. Isto já mostrava como os deuses haviam perdido sua força perante a sociedade grega.

Alguns povos rezavam para os deuses das fezes e do pum. Os romanos, por exemplo, consagravam à deusa Cloacina e a Crepitus. Na mitologia romana, Cloacina (derivado da palavra latina cloaca que significa “esgoto” ou “fuga”) era a deusa que presidia a Cloaca Máxima, o sistema de esgotos de Roma.  Já Crepitus é um suposto deus romano da flatulência. É provável que está divindade jamais tenha sido realmente adorada, a única fonte antiga para a alegação de que tal deus jamais foi adorado vem da sátira cristã. O deus aparece, no entanto, numa série de obras importantes da literatura francesa (quem mais poderia ser?). Bem, como eu já disse anteriormente, até o Deus da flatulência é negado. Todos sentem a existência dele pairando no ar, mas ninguém quer provar que ele exista.

No entanto a história mais escalafobética é descrito no livro dos moabitas, um povo do Oriente Médio. Consta que eles acreditavam que a divindade Bel-Phegor zelava pela boa saúde de seus sistemas digestivos e louvavam esse poderoso deus abaixando as calças em pleno templo e ofertando-lhe gases. Agora imagine a cena, várias pessoas num templo, virando de costas para o altar, baixando as calças e soltando puns. Simplismente hilário. Segundo a história a divindade Bel-Phegor os protegeria de hemorróidas e úlceras. “Já começo a pensar na possibilidade de trocar o sentador por uma imagem do Bel-Phegor.”

Entretanto, a grande questão do peido é como ela diminui a pessoa. Você estuda, faz mestrado doutorado, e de repente solta um pum sem querer perto dos seus amigos. Você de um hora para a outra deixa de ser o Dr. Beltrano para ser o Dr. Peidando.  Ou então, você é um advogado respeitado, renomado, logo não pode peidar perto do chefe, por que pegaria mal. Não pode peidar perto do flanelinha, afinal ele sempre mostrou grande admiração por ti. Enfim não dá para peidar perto de ninguém. Então você pensa: “Logo, logo estarei cheio disso tudo”.

Estórias é o que não faltam no nosso cotidianus…opa, cotidiano. Quem nunca peidou no elevador sozinho e ele para no andar seguinte? É exatamente o tempo para a flatulência se espalhar no ambiente. Nessa situações, o que fazer? “Respire fundo” é a minha sugestão. Outra possibilidade é: Abra o celular e saia do elevador olhando pra baixo fingindo que esta digitando uma mensagem. As possibilidades são infinitas, tanto o tipo de peido como as saídas para essas situações. (Pra você que deseja saber algumas possibilidades, visite este site  http://www.perguntascretinas.com.br/2007/01/07/tipos-de-peido/.)

Isso me faz lembrar de uma estória que minha tia me contava. Na época, ela foi com o marido para garimpar em uma mina de ouro lá no norte do país. Ela conheceu um rapaz e dizia que o cara fazia a melodia de músicas famosas, além de imitar barulhos de carro, de pássaro utilizando apenas o esfíncter. Fiquei impressionado, e tentava peidar imitando pássaros também. Mas até hoje só consegui imitar elefantes espirrando. Pensava: “Isso deve ser mentira”. Foi quando ouvi a  história de Le Petomane (algo como o Peidão em português) era um artista do século XIX, com um talento único para soltar bufas. O seu show costumava lotar o Moulin Rouge (famoso dos cabaré francês). Sempre com uma expressão séria, o artista imitava puns alheios e instrumentos musicais, apagando velas, fumando cigarros e, pasmem, tocando flauta (não me pergunte se era flauta doce!). Tudo isso, usando apenas seus lábios… anais. No final, Le Petomane levava a platéia ao delírio ao executar La Marseillaise só com seu sopro retal.

Veja que o rapaz da mina era um verdadeiro garoto de ouro. Poderia ter feito sucesso na época do É o Tchan aproveitando o talento natural de sua bunda. E você leitor, qual a história marcante de suas bufas? Não deixe que essas estórias entrem por um ouvido e saiam pelo outro.

Uma ótima estória foi enviada pelo meu brother DaniBoy, vale a pena conferir abaixo.

Ref.: Super Interessante. Ed. 185.

Anúncios

4 respostas em “Peidei mas não fui eu!

  1. hahaha, pode ser até constrangedor, mais é um assunto que chama muita atenção. só de ler o título não pude deixar de ler o resto…afinal, peido faz parte da nossa vida.
    quem aqui não peida? é entupido por acaso? hehehe, tem que ter vergonha não, PEIDE MESMO! como diz nosso caro amigo “porra bixo, que cheirinho hein…” kkkkkkkkkk
    esse blog tá MARA!

  2. kkkkk.. concordo com a Nessa! O blog tá MARA! Já ouvi dizer, não sei até onde é verdade, que na china peidar em público não é visto de forma constrangedora, assim como arrotar após as refeições para os japoneses. Segundo os chineses devemos eliminar tudo aquilo de não faz bem, seria algo assim. O vídeo é muito bom também. Bjocas!

  3. Pingback: Os números de 2010 « O ermo do lampião

  4. qd vc é bebê e terminar de mamar, a vaca leiteira da mãe te coloca pra arrotar, né????….então pq depois que crescemos isso vira falta de educação???…a sociedade é q é hipocrita isso sim
    Peido mesmo, quem não gostou é q tape o nariz
    E adoro peidar dentro do ônibus todo fechado com o ar condicionado ligado, ainda mais qd é aquele peido q queima a rosca, pq esses é q realmente fedem pakaraleo….
    e Por falar nisso acabei de peidar e tá fedendo….PUT A KEEP ARE YOU!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s